publicado dia 30/01/2017

Conselheiros tutelares em risco: como garantir a segurança dos profissionais
em todo o Brasil?

por

O primeiro mês do ano trouxe um sentimento de tristeza e preocupação aos profissionais da área de direitos humanos e conselhos tutelares do Brasil. Em menos de duas semanas, dois agentes morreram e um ficou ferido em ataques em duas regiões do país.

O primeiro caso aconteceu no dia 11 de janeiro, em Itupiranga, no sudeste do Pará. O conselheiro tutelar Rondineli Maracaipe seguia para um atendimento quando foi abordado e morto a tiros. O conselheiro Jorge Ferreira, que estava junto de Maracaipe, acabou sendo baleado no abdome, mas sobreviveu.

A onda de violência não parou por aí. No dia 24, outro conselheiro foi assassinado, desta vez em Ouro Verde, oeste de Santa Catarina, chamando atenção para um assunto de extrema importância: a segurança dos conselheiros nos atendimentos diários. No total, são 30 mil conselheiros tutelares atuantes em 26 estados e no Distrito Federal, necessitando de proteção para trabalhar.

O conselheiro Daniel Péres, parceiro da Rede Peteca e administrador da página “Fala, Conselheiro!”, é um dos que se sensibilizam com a morte dos companheiros. Com atuação em Guapimirim (RJ), ele traz na série “Tira-dúvidas” deste mês um vídeo para alertar sobre riscos da profissão e medidas que devem ser tomadas para garantir a integridade dos profissionais.

Confira o vídeo e envie suas perguntas nos comentários da página ou pelo nosso canal no Facebook. Participe!