publicado dia 24/10/2018

Na semana da SP Fashion Week, campanha alerta para trabalho infantil na cadeia da moda

por

Dois eventos ligados ao mundo da moda agitam a cidade de São Paulo nesta semana. O primeiro, a “São Paulo Fashion Week”, é conhecido internacionalmente por ser a maior mostra fashion no Brasil e uma das mais importantes da América Latina. O segundo busca a mostrar que, por trás das roupas que usamos,  pode estar escondido o trabalho infantil na indústria da moda.

A partir desta quinta-feira 25, a plataforma Rede Peteca –  Chega de Trabalho Infantil, em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads) de São Paulo, vai distribuir centenas de folhetos educativos sobre o tema aos alunos, pais e professores de escolas públicas localizadas em regiões com grande concentração de oficinas de costura da capital.

 

A entrega do material acontece a partir das 9 horas nos bairros do Pari, Brás, Bom Retiro, todos na região central, Vila Maria e Vila Guilherme, na Zona  Norte. As escolas participantes são:

E.E. Maria Montessori E.E. Casimiro de Abreu E.E. Marechal Deodoro
E. E. Canuto Do Val E. E. Orestes Guimarães E. E. Domingos Faustino Sarmiento
E. M. Infante D. Henrique E. M. Anália Franco

Fazer com que as próprias crianças levem a informação para suas casas é uma maneira de envolver as famílias no combate ao trabalho infantil de sua comunidade”, explica Bruna Ribeiro, que coordena a ação na Rede Peteca.

Escolhemos esses bairros por terem grande concentração de imigrantes e brasileiros de baixa renda, que frequentemente trabalham de modo informal nessas confecções, levando consigo seus filhos para ambientes sem nenhuma segurança para aquela faixa etária. Enquanto os adolescentes contribuem na produção das peças, as crianças menores permanecem no local até o fim do expediente dos pais, explica.

Orientadora Social distribui folders explicativos na Escola Municipal Infante Dom Henrique, no bairro do PariSegundo Bruna, a intenção da campanha não é apenas explicar o que é e quais são as consequências do trabalho infantil, mas também orientar as famílias sobre os órgãos públicos que podem auxiliá-las. Por exemplo, na regularização de documentos dos filhos (no caso de imigrantes) necessários para matricular a criança em creches e escolas da região.

O material distribuído traz os endereços e telefones dos CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) e CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) dos cinco bairros alvos da campanha.

“Queremos mostrar para os pais que eles são vítimas dessa situação e, desse modo, precisam proteger seus filhos trocando o trabalho infantil pela escola”, acrescenta Bruna.

Baixa as peças da campanha

folder da campanha trabalho infantil na indústria da moda

 

campanha trabalho infantil na moda frente

Sobre nós

A Rede Peteca – Chega de Trabalho Infantil é uma iniciativa da ONG Cidade Escola Aprendiz que visa a promoção dos direitos da criança e do adolescente e a erradicação do trabalho infantil no País a partir da comunicação. Lançada em 2016, a plataforma tem o apoio institucional do Ministério Público do Trabalho (MPT).

Trabalho infantil na indústria têxtil de SP atinge principalmente migrantes