publicado dia 06/03/2017

“MPT em Quadrinhos”: conheça os gibis que conscientizam e divertem

por

Cheias de cores e desenhos. Assim são as revistas em quadrinhos. Queridas principalmente pelas crianças, as ilustrações, por representarem um universo lúdico, prendem a atenção com histórias sobre diversos assuntos. Além de ser um ótimo passatempo, o material também pode servir para conscientizar os leitores e abordar assuntos sérios de maneira leve e didática.

Um exemplo disso é a coleção de quadrinhos do Ministério Público do Trabalho (MPT). Contando com 26 edições (outras quatro serão lançadas em breve), os gibis apresentam contos que tratam de questões como trabalho infantil, direitos trabalhistas e violações de direitos em geral. Há inclusive uma edição que traz um caderno de atividades, com recursos como palavras cruzadas e figuras para colorir.

Para entender a proposta e como funciona a criação da revista, o Rede Peteca – Chega de Trabalho Infantil entrevistou o gerente do projeto “MPT em Quadrinhos”, Wendell Luis Taboas, que atua no Espírito Santo. Confira a entrevista e veja os quadrinhos no site ou na página da inciativa no Facebook.

Trabalho infantil foi tema de seis edições dos gibis. Crédito: Montagem/MPT Espírito Santo

Como e quando as revistinhas “MPT em Quadrinhos” surgiram?

Em outubro de 2013, nós criamos a primeira revista para usar em um projeto específico. A aceitação dela foi tão boa que passamos a considerar a possibilidade de lançar novas edições. Foi então que vieram outras cinco revistas. Nelas, buscamos abordar os assuntos que surgem de demandas de outras pessoas: trabalho infantil, acidentes de trabalho, assédio moral, estágio e deficiência.

Quantas edições serão publicadas no total e como são pensados os temas de cada uma?

No site e na página do Facebook temos 26 para leitura on-line. Mas somando com as que já estão prontas e vão subir no site nos próximos meses, são 30 revistinhas. Quando as ideias chegam, nós analisamos a possibilidade de trabalhar determinado assunto. Nós também fazemos uma análise permanente dentro do próprio Ministério Público. Aqui no Espírito Santo, conversamos com os procuradores e eles nos apontam os temas mais discutidos. A partir disso, pensamos em como trazê-los para as revistas.

Como os quadrinhos colaboram para a conscientização dos leitores a respeito de temas como trabalho infantil?

A vida é muito corrida e as pessoas vivem sem tempo. Às vezes, quando recebemos um material mais pesado de ler, como uma cartilha com textos maiores, não damos a devida atenção. Entretanto, com a revista em quadrinhos, por ter um formato diferente, outra linguagem e ilustrações coloridas, a chance de alcançar mais leitores é maior. Além disso, você consegue impactar desde crianças até adultos, o que é muito importante para a conscientização a respeito de temas como o do trabalho infantil, já que muitos ainda enxergam a exploração de crianças como algo normal.

Uma das próximas edições irá tratar da Lei da Aprendizagem, certo?

A edição sobre a Lei da Aprendizagem será lançada em breve. Ela surgiu por conta do número de empresas que não cumprem com as vagas de aprendizagem. O objetivo é conscientizar mais pessoas sobre essa forma de oferecer aos jovens uma forma de trabalho assistido e dentro do que é pedido pela lei.

Para os interessados, como é possível adquirir uma das revistas do MPT em quadrinhos?

Os pedidos devem ser feitos apenas por intermédio do Ministério Público do Trabalho. Aqui no Espirito Santo, nós usamos bastante a revista “Trabalho Infantil: Mitos e Verdades” junto da prefeitura em abordagens nas feiras livres, como forma de conscientizar mais pessoas. Sendo assim, fazemos a divulgação e podemos ainda fornecer material por conta da parceria. Entretanto, tratando-se do pedido de outros estados, precisamos analisar com mais calma. Por isso pedimos que as solicitações sejam feitas por meio das unidades do Ministério Público de cada local.

Existe a possibilidade das edições chegarem até outras secretarias e órgãos públicos?

O projeto é do MPT no estado do Espírito Santo. Aqui, já conseguimos imprimir e distribuir 1.700.000 revistas. A intenção é que elas cheguem até outras localidades. Nos estados sempre que alguma entidade faz o contato conosco, procuramos apoiar, cedendo a arte para impressão e distribuição.

A dica que dou é que o interessado em receber as revistas converse com a instituição do estado para essa possível parceria com o nosso projeto. O contato pode ser feito pelo site, página do Facebook ou no email: quadrinhos@mpt.mp.br

 

A voz do leitor

“Eu trabalhava no CRAS indígena, no município de Aquiraz, próximo de Fortaleza (CE). Conheci as revistinhas do ‘MPT em Quadrinhos’, gostei muito e procurei um contato para solicitar o material. Quando eu apresentei para as orientadoras sociais e para as crianças, todos adoraram. A edição que recebi tratava do trabalho infantil, então comecei  a fazer trabalhos de leitura utilizando a revista. Alguns levaram para casa também. A linguagem é fácil, as ilustrações chamam a atenção dos meninos e abordam problemas importantes. O meu desejo é que esse material chegue até outros locais, para que as pessoas conheçam mais de um projeto tão bacana”, relata o leitor e conselheiro tutelar no Ceará Marcelo Matos.