publicado dia 06/08/2020

Ensino remoto: Guia para Professores sobre trabalho infantil traz planos de aulas a distância

por

As escolas têm um papel fundamental no combate ao trabalho infantil. Muitas vezes, é o professor quem identifica sinais como cansaço e baixo rendimento. Mas com o isolamento social causado pela pandemia do coronavírus, as escolas fecharam as portas e adotaram o ensino remoto. Pensando nisso, a Rede Peteca – Chega de Trabalho Infantil lançou o Guia Para Professores: Como Trabalhar o Tema na Escola, com seis opções de planos de aulas a distância.

A publicação apresenta dicas de como identificar estudantes que sejam vítimas desta violação.  Além disso, o Guia traz a definição de trabalho infantil, suas causas e consequências. Em parceria com o Futura e com apoio pedagógico da Cartilha Pedagógica Pedra Papel Tesoura! , também foram publicados planos de aula presenciais.

Já os planos de aula a distância foram elaborados por Soraya Freire de Oliveira, professora do quinto ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Thomas Meirelles, de Manaus (AM).  Apaixonada pela profissão, Soraya já recebeu nove prêmios. Foram quatro Prêmios Professores do Brasil, três prêmios Denatran de Educação no Trânsito, um Prêmio Incentivo à Educação Fundamental e um  Concurso Estadual de Prevenção às Drogas, Tabagismo e prevenção a Dengue.

Professora Soraya e alunos, após atividade sobre trabalho infantil. Crédito: Divulgação

Com 32 anos de profissão, ela despertou para o tema do trabalho infantil há 12 anos, ao notar que um aluno era vítima da exploração. “Ele tinha 13 anos e dormia todos os dias na minha aula. Em uma roda de conversas, ele contou que acordava todos os dias às 3h30 para trabalhar. Às 4 horas saia com o pai até a padaria, onde o ajudava a fazer pães. Chegava de volta às 8 horas, dormia e acordava ao meio dia para almoçar. Em sala de aula, estava exausto”, contou a professora.

Para solucionar a questão, Soraya conversou com a família, que entendeu a importância do aluno focar a atenção nos estudos.”Ele deixou de trabalhar na padaria e começou a fluir maravilhosamente na escola.”

A partir dessa experiência, a professora vem desenvolvendo diversas metodologias para combate ao trabalho infantil, articulando escola, alunos e família. “As propostas não enfocam somente no contexto social, mas estão atreladas a uma base curricular, para que o professor não pense que está trabalhando fora do contexto”, explicou.

Se quiser baixar o Guia para Professores sobre trabalho infantil, clique neste link!