publicado dia 04/01/2017

Como proteger as crianças
do trabalho precoce

por

WhatsappG+TwitterFacebookCurtir
Crédito: 5demayo / Morguefile.com

Crédito: 5demayo / Morguefile.com

No ano de 2015, 2,672 milhões de crianças e adolescentes estavam em situação de trabalho no Brasil. Mesmo com a queda nos números quando comparados aos de 2014 (que registravam 3,3 milhões de meninos e meninas de 5 a 17 anos no trabalho infantil), ações e materiais de conscientização são fundamentais para seguir na luta por uma infância protegida.

Pensando nisso, o Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região, de Santa Catarina (TRT- SC), e o Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem lançaram a cartilha Trabalho infantil não é brinquedo!”, disponível gratuitamente para download.

Por meio de palavras-cruzadas e outras atividades lúdicas, o livreto, voltado para educadores do Ensino Fundamental e atores do Sistema de Garantia dos Direitos que atuam diretamente na infância, apresenta dados específicos do trabalho infantil no estado de Santa Catarina. Por lá, 143 mil crianças e adolescentes ainda estão em situação de trabalho infantil, a maioria deles na área rural.

Entre desenhos coloridos, estão os conceitos que envolvem as piores formas, textos informativos sobre a lei da aprendizagem e a legislação brasileira, além de dados acerca dos mitos e verdades sobre a temática. Confira!