publicado dia 17/08/2017

Baixe agora! Cinco teses acadêmicas para ajudar no combate ao trabalho infantil

por

Matéria originalmente publicada pelo Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação
do Trabalho Infantil (FNPETI), parceiro da Rede Peteca

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) destaca-se no contexto nacional pela produção acadêmica sobre trabalho infantil. Somente o Núcleo de Pesquisas e Estudos sobre o Desenvolvimento da Infância e Adolescência (NUPEDIA) publicou, nos últimos anos, 11 trabalhos: seis dissertações de mestrado, três teses de doutorado e duas monografias de especialização. Uma das teses resultou na construção de um instrumento de avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI).

As pesquisas acadêmicas sobre trabalho infantil contribuem para a compreensão do tema, fornecem elementos para que a sociedade enfrente a violação e oferecem apoio à execução de ações e políticas públicas mais eficazes, eficientes e efetivas de enfrentamento, defende a coordenadora do NUPEDIA, Maria de Fátima Pereira Alberto.

A ciência é uma parceira potencial para estudar, analisar e compreender como o trabalho infantil afeta o desenvolvimento físico, psicológico e social de crianças e adolescentes; como impacta a sociedade e o Estado; e possibilita compreender quais políticas públicas diminuem a inserção precoce no mercado de trabalho e quais incentivam seu crescimento”, detalha.

Para Maria de Fátima, é fundamental democratizar o acesso ao material produzido nas universidades. “Fazer essa produção acadêmica retornar para a sociedade é contribuir para que as pessoas compreendam os impactos e os danos do trabalho infantil. Além disso, a maior parte da produção científica brasileira é feita em universidades públicas, em especial nas federais, com recursos públicos. Então, tem que retornar para o conjunto da sociedade brasileira, principalmente dos setores mais excluídos, que não têm acesso aos equipamentos e serviços do Estado”, ressalta.

 

Revista Coquetel ganha edição especial com jogos sobre trabalho infantil