publicado dia 12/07/2019

Lugar de criança é na escola

por Débora Garofalo

No Brasil, milhares de crianças, com idades entre 5 e 13 anos, trabalham enquanto deveriam estar na escola. Geralmente, essas crianças e adolescentes executam jornadas de trabalho pesadas e muitas perigosas, impedindo a assim a frequência deles na escola, além da maioria destes trabalhos requerer um esforço grande destas crianças e jovens.

Os malefícios do trabalho infantil

É necessário compreender os males do ingresso no trabalho de forma prematura ocasiona na vida destas crianças e jovens, além de ofuscar os sonhos destes meninos e meninas.

Muitas pessoas na sociedade acham normal que essas crianças passem por isso e reproduzem frases, como: “Em casa todos trabalhamos e nunca morremos por isso”, “sou a favor. Criança tem que trabalhar mesmo” e “trabalhei cedo e sou uma pessoa honesta”.

Essas afirmações são equivocadas, sendo necessário ponderar as diferenças de tempo, sociedade e principalmente os riscos que diariamente essas crianças são expostas na rua.

Como reverter o trabalho infantil

Esse é um tema que exige esforços de vários atores da sociedade, como investimento em políticas públicas, sensibilização sobre as dores do trabalho infantil, campanha sobre o assunto  na sociedade e trabalhos pedagógicos nas unidades escolares.

A escola exerce um papel fundamental de sensibilizar e de aprofundar debates e esclarecimentos com os temas, envolvendo a comunidade. São muitas ações que podem ser realizadas nas escolas, como:

  • Vídeos e fotos que abordam o tema para sensibilizar e iniciar rodas de conversas com as turmas.
  • Textos reflexivos e de estudos de casos que pode ser o inicio para projetos que envolvam a temática.
  • Criação de produções diversas, como campanhas, documentários, curtas, exposições de fotos, encenação de um teatro, que podem envolver parcerias de outros professores e o convite a comunidade.

Desta maneira, os discentes exercem o protagonismo, saindo da passividade e atuando no centro do processo de aprendizagem ao se envolver com ações pertencentes, exercendo o papel de cidadão, colaborando para erradicação do trabalho infantil, principalmente permitindo a circulação destas informações e reflexões na sociedade.

E você querido professor, como lida com o assunto em sua sala de aula? Conte aqui nos comentários.