publicado dia 03/04/2018

Gibis abordam as piores formas de trabalho infantil

por

*Com informações do  
Programa de Combate ao Trabalho Infantil
e estímulo à aprendizagem

A Lista das Piores Formas de Trabalho Infantil (TIP)  é conhecida mundialmente por definir as atividades de maior risco para a saúde e segurança de crianças e adolescentes. Isso inclui, por exemplo, o trabalho escravo, o trabalho infantil e a exploração sexual.

No Brasil, a Lista TIP classifica 93 atividades que apresentam riscos para a saúde física e mental, e para o desenvolvimento de crianças e adolescentes. A consolidação dos dados foi realizada pela Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Infantil (Conaeti), em parceria com o Governo Federal e a sociedade civil.

E a nova revista da série MPT em Quadrinhos, projeto do Ministério Público do Trabalho com edições disponíveis para leitura online, explora o tema e aponta dados alarmantes.


Relembre, abaixo, a reportagem especial da Rede Peteca – Chega de Trabalho Infantil, sobre o projeto!

“MPT em Quadrinhos”: conheça os gibis que conscientizam e divertem

 

Dados atuais

Só em 2016, no Brasil, foram resgatadas mais de 2 mil crianças que exerciam atividades consideradas como piores formas de trabalho.

Em 2017, no primeiro semestre, foram contabilizadas mais de 700 denúncias ao Ministério Público do Trabalho.

Ainda em 2017, o governo do Estado do Espírito Santo sancionou a lei 10.755/2017 instituindo o “Junho Vermelho”, com o intuito de dedicar o mês ao debate sobre o trabalho infantil, para prevenção e erradicação da prática.

O mês foi escolhido por celebrar, no dia 12, o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. Há a necessidade de conscientizar a população, desmistificar alguns ditos populares (como “é melhor trabalhar do que roubar”) e criar ações de combate com o apoio da sociedade.

Feiras públicas, semáforos e carvoarias  são alguns exemplos de locais comuns onde se encontram crianças em situação de risco. Relembre nas matérias especiais da Rede Peteca:

Tudo em família: o trabalho infantil nas feiras livres

Os meninos coloridos e invisíveis dos faróis de São Paulo

“A criança deveria estar lendo, não trabalhando”, diz Roger Mello, autor premiado que retrata as difíceis infâncias do Brasil

 

Conheça os quadrinhos!

A série “MPT em Quadrinhos” foi elaborada pelo Ministério Público do Trabalho no Espírito Santo (MPT-ES) e já conta com 33 edições publicadas, abordando diversos temas: trabalho infantil, saúde e segurança no trabalho, assédios moral e sexual, direitos do trabalhador e muitos outros. Todas as edições estão disponíveis no site www.mptemquadrinhos.com.br e na página do série no facebook https://www.facebook.com/quadrinhosmpt/.

Sob o sol do verão, uma das piores formas de trabalho infantil ocorre na praia