publicado dia 12/06/2017

12 motivos para ser contra o trabalho infantil

por Propercio Rezende

 

Dia 12 de junho é o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, instituído pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), em 2002.

Desde 2007, quando foi promulgada a Lei Federal 11.542, o Brasil aderiu a esta iniciativa. Sendo assim, dia 12 de junho é, também, Dia Nacional contra o Trabalho Infantil.

Nesta data, queremos pensar, de forma bem prática. Com os pés no chão da realidade: por que ser contra o trabalho infantil, se tanta gente é a favor? Seguem 12 motivos baseados em ciência e pesquisa:

  1. Crianças e adolescentes que trabalham tem a saúde física prejudicada

    São prejuízos imensos, por conta da formação da criança e do adolescente não estar completa. Danos na musculatura, ossos, aparelho respiratório entre outros, que não são percebidos no momento do trabalho, mas terão consequências graves no futuro. Uma criança que fica na rua o dia todo, por exemplo, terá maiores chances de desenvolver câncer de pele. Muitos adultos têm sérios problemas na coluna por ter carregado muito peso quando crianças.

  2. Crianças e adolescentes que trabalham tem seu desenvolvimento intelectual prejudicado

    Pesquisas comprovam que crianças e adolescentes que trabalham tem rendimento escolar abaixo da média, contribuindo com a defasagem idade série e com o aumento da evasão escolar. Com isso se tornarão adultos menos capazes de se desenvolver ou se destacar em tarefas e profissões que exijam maior capacidade ou preparo intelectual.

  3. Crianças e adolescentes que trabalham tem seu discernimento moral e ético prejudicados

    Os ambientes de trabalho são marcados pela competitividade e, não raramente, pela falta de escrúpulos, em que o lucro é posto acima da ética e da moral. Esta ausência de valores morais pode ser assimilada pelas crianças e adolescentes, uma vez que, nestes ambientes, não há um processo de diálogo, reflexão, orientação ou acompanhamento, como deve ocorrer nas escolas ou projetos sociais.

  4. Crianças e adolescentes que trabalham não tem tempo para brincar

    Especialistas em educação, psicologia e desenvolvimento infantil são unânimes em afirmar que o brincar é essencial para o desenvolvimento integral de uma pessoa. Ao brincar a criança aprende a ser um adulto melhor, experimenta e vivencia situações, assimila e processa sentimentos. Crianças que não tiveram oportunidade de brincar, podem se tornar adultos emocionalmente prejudicados.

  5. O prejuízos do trabalho infantil para crianças e adolescentes são comprovados pela ciência

    Diversas ciências têm mostrado, em vários países, que os prejuízos relacionados ao trabalho infantil são inquestionáveis. Como, em geral, muitos destes prejuízos não são percebidos imediatamente, há uma falsa conclusão de que eles não existem. A população em geral não acompanha a vida de crianças que trabalharam até sua idade adulta. Com isso, não possuem critérios objetivos para avaliar estes prejuízos, se deixando levar pelo senso comum.

  6. crianças e adolescentes que trabalham são expostos a riscos e perigos

    Diversas atividades profissionais oferecem riscos, inclusive para adultos. Acidentes de trabalho atingem milhões de pessoas ao redor do mundo, muitas vezes levando-as à morte. Com as crianças, isso é ainda mais grave. Ao ficar nas ruas, além dos perigos de acidentes de trânsito, por exemplo, crianças e adolescentes ficam mais vulneráveis à criminalidade. Ao atuar em ambientes industriais, têm mais chances de sofrer acidentes com máquinas, ferramentas ou equipamentos.

  7. O trabalho infantil rouba oportunidades das crianças e adolescentes

    Crianças e adolescentes que trabalham não tem tempo para participar de projetos sociais (no contra turno escolar, por exemplo), esportivos ou culturais que oferecem formação de qualidade. Ou mesmo em ações pontuais, como passeios, visitas a exposições, ou outras atividades promovidas pela escola, sendo prejudicados em seu desenvolvimento integral.

  8. O trabalho infantil impede que crianças e adolescentes se tornem profissionais qualificados

    Ao serem prejudicados em seu rendimento escolar e em sua formação cultural como um todo, crianças e adolescentes que trabalham terão menores chances e menos condições de aprovação em processos seletivos de escolas conceituadas, ou menor rendimento em treinamentos promovidos por empresas. Com isso acabarão por ocupar apenas os cargos que oferecem baixa remuneração, não conseguindo crescimento na carreira.

  9. O trabalho infantil mantém as famílias na pobreza

    Crianças e adolescentes que trabalham são, em praticamente sua totalidade, de classes menos privilegiadas. Ao trabalharem, e por conta dos prejuízos desta prática, não atingem a chamada mobilidade social, ou seja, não desenvolvem condições para elevar o padrão de vida familiar, caindo em um círculo vicioso em que os filhos repetirão a experiência de subemprego e pobreza dos pais.
  10. Crianças e adolescentes não devem assumir a provisão da casa

    Ajudar nas atividades domésticas é bem-vindo, dentro de critérios adequados, porém, não cabe a crianças e adolescentes ajudarem no sustento da casa. Esta função é dos pais e/ou responsáveis que, se necessitarem, deverão contar com auxílio do Estado. A falta de programas de auxílio deve ser cobrada do poder público. Não cabe às crianças e adolescentes substituir o que famílias e governos deixam de realizar ou oferecer.

  11. O negativo impacto econômico do trabalho infantil

    O impacto do trabalho infantil na economia ou no mundo do trabalho é sempre negativo. Apenas os empresários ou exploradores saem ganhando injustamente ao “empregar” crianças e adolescentes, se livrando do pagamento de direitos trabalhistas, salários justos etc. Os custos de tratamento de doenças ou outros prejuízos causados pelo trabalho infantil, durante longos anos de vida adulta, trará grandes custos aos cofres públicos, além de crianças e adolescentes ocuparem postos de trabalho que deveriam ser de adultos, gerando desemprego.

  12. Nações que progrediram econômica e socialmente excluíram o trabalho infantil

    Diversos países que se desenvolveram nos últimos anos incluíram, entre as ações de crescimento, o foco e o investimento na educação, combatendo o trabalho infantil e outras práticas prejudiciais às crianças, adolescentes e jovens.

Dia 12 de junho, como em todos os dias do ano, o trabalho infantil sempre será uma péssima opção para nossas crianças, adolescentes e suas famílias.

 

O que é mito e o que é verdade sobre o trabalho infantil? Deixe seu comentário